Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



novas histórias de penélope - primeiro choro de penélope

Domingo, 24.06.07


é aos deuses que dirijo
esta imprecação
aos deuses que cruéis e desumanos
beijam na boca
o sonho dos mortais

ainda a clepsidra não rodou
e já as velas difusas
no horizonte se fundem

a sibila murmura palavras
que não me iludem

que no meu choro pressinto
muro de tróia a arder
o tempo deste absinto
feito fruto de sofrer

sou penélope
a que espera dos deuses
consolação
na trama do meu regaço
guardo o futuro
da nação

e sou mulher nesta espera
do tempo que for capaz
que o peso que em mim carrego
só nasça se for rapaz
Posted by Picasa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Carlos Alberto Correia às 18:34


Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.








comentários recentes




subscrever feeds