Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Alberto João

Segunda-feira, 03.10.05
Estar aqui dói-me. E eu estou aqui
Há novecentos anos. Não cresci nem mudei.
Apodreci.
Doem-me as próprias raízes que criei.


Canto Peninsular, O Canto e as Armas, Manuel Alegre


-------O-------



Nunca tive grande simpatia pelo Jorge Coelho. Nem sequer gostei daquela sua frase “quem se mete com o PS leva”, a lembrar putos no recreio da primária. Nunca tive, de facto, grande simpatia pelo Jorge Coelho.

Até ontem!!!!

Regra geral, quando vejo a carantonha do inefável Jardim (Alberto João) de seu nome, sinto uma irresistível punção no dedo especializado em “zapping” e parto velozmente para fora da poluição.

No entanto ontem, e que quem me possa perdoar me perdoe, fiquei, estático, estarrecido, perante um chorrilho de asneiras que o Presidente Alberto, ao que parece sem ter vindo de nenhuma degustação vinícola, vomitava para um mais que inocente microfone.

Dizia ele que não tinha medo nenhum do Dr. Coelho, nem sequer físico, e desafiava-o para ir à Madeira para aprender o que é democracia.

Eu sei que as palavras são “por vezes fontes de mal-entendidos”- (Saint-Exupéry)- mas nem a boca lhe estalou ao proferir semelhante impropério. É que parece que, mais uma vez volto à primária, o Presidente da Madeira usou os meios de comunicação públicos para desafiar o Dr. Coelho para lhe por “cuspinho atrás da orelha”. (Era assim que no meu tempo de criança se fazia ao adversário para mostrar que se lhe era fisicamente superior). É de homem!!!!!

E depois, sabendo que o Dr. Alberto João avisou os municípios, onde o PSD-Madeira não ganhasse, sobre as futuras dificuldades de apoio por parte do poder regional; que é hábil a calar a imprensa local e entra em histeria por não ter o mesmo poder para a imprensa continental; ficamos estupefactos pela sua pretensão de ser formador ou exemplo em matéria de democracia.

O homem não se enxerga mesmo!

Sabendo embora que a ignorância sempre foi arrogante espanta-me que, com tanto desaforo que o senhor já produziu, a Republica assobie para o lado a fazer sempre de contas que não foi nada, de que nada ouviu.

Irra, é de mais. Então não se pode calar a verrina?!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Carlos Alberto Correia às 17:27


3 comentários

De Anónimo a 03.10.2005 às 17:54

Pois, Caro Doutor, o seu post fez-me lembrar que em tempos idos, se dizia: "já chegamos à Madeira, ou quê?"...Agora ninguém usa esta expressão. Toda a gente sabe que o País está impestado de (Tótós) Jardins e ninguém dá um murro na mesa. Com medo sabe-se lá do quê?

De JVC a 04.10.2005 às 08:06

Relisticamente, não se pode fazer nada. O poder do PR é o de dissolver os órgãos regionais, o que significa novas eleições. Ninguém duvida deque AJJ as ganhria,até por reacção do eleitorado madeirense mais primário. O que é que isto significaria como ofensa à República?

De Anónimo a 04.10.2005 às 10:20

Permita-me discordar em toda a linha. O poder do PR não se resume ao de dissolver os órgãos regionais. Quantas intervenções públicas tem tido o PR sobre as mais diversas matérias - educação, medidas governamentais? Algumas. Quantas sobre o AJJ. Nenhuma. Claro que não se pode pedir ao cinzento que desenhe o arco-íris... RA

Comentar post