Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



tema da solidão I

Domingo, 07.10.07


na leitura completa e transcendente
mergulhamos vazios neste café
onde ausência funciona intermitente
num tejo mansarrão que perde o pé

intromete-se o rio na minha bica
neste momento ignoto introspectivo
e nunca sou aquele que atrás fica
tão somente um presente objectivo

sobre a palma rota desta mão
fica o futuro porto a descoberto
em volutas lineares de solidão

e todos vós amigos estais tão perto
do lume que incendeia o coração
que eu entro no café de peito aberto

de repente
reparo que o poema
se recusa ao que sinto
e se tranforma inútil
no morfema
das dores em que me minto
Posted by Picasa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Carlos Alberto Correia às 12:02








comentários recentes




subscrever feeds